Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório da Prof. Dra. Virulina Injetável

O Consultório da Prof. Dra. Virulina Injetável tem como missão patriótica comentar diária e disparatadamente grandes questões disparatadas que atormentam o bom povo português. Pergunte que eu disparato!

Consultório da Prof. Dra. Virulina Injetável

O Consultório da Prof. Dra. Virulina Injetável tem como missão patriótica comentar diária e disparatadamente grandes questões disparatadas que atormentam o bom povo português. Pergunte que eu disparato!

A Coca-Cola tem COVID?

Prof. Dra. Virulina Injetável, 27.01.21

Nos últimos dias, ficou viral um teste pcr feito à Coca-Cola por um farmacêutico francês (tinha de ser!), em que o resultado foi que a Coca-Cola dava positiva para a COVID.

Ora, enquanto aqueles que têm mais de dois neurónios a funcionar corretamente sabiam ou se foram informar e descobriram que a Coca-Cola tinha apenas degradado os reagentes do teste, todos os outros, a população formada em pandemias e doenças infecciosas nas redes sociais, viu confirmada a sua profunda convicção de que os testes pcr não servem para nada e são uma fraude.

Tem obviamente razão, como vamos explicar.

Primeiro que tudo, a sigla «pcr» significa «pokemon chain reaction» em inglês, o que, em português, significa «reação em cadeia dos pókemons». Isto dá-nos logo uma indicação clara que a verdadeira utilidade dos testes pcr é na realidade virtual, mais especificamente nos videogames, para avaliar qual é a reação em cadeia dos jogadores do Pokemon GO quando interagem da vida real. Este teste é importante, fundamental mesmo, para garantir que não há reações anti-histamínicas ou anafiláticas cruzadas violentas entre jogadores caso se encontrem num contexto não gaming.

É portanto perfeitamente disparatado utilizar um teste de pókemons para detetar a presença de um vírus, muito menos um vírus vaidoso como o SARS-COV 2, que não gosta de passar despercebido. Como toda a gente sabe, a presença desse vírus deteta-se pela simples observação da pessoa em causa.

A este propósito, permito-me reproduzir a frase de alguém altamente qualificado e conhecido que terá dito o seguinte num famoso programa da televisão dedicado a donas de casa, reformados e políticos:

«Estou aqui sem nenhuma proteção porque tenho a certeza que [...] e [...], que aliás são muitos, não representam qualquer tipo de problema para a minha saúde. Sei disso olhando para eles.»

Por conseguinte, o teste pcr à Coca-Cola referido acima mais não faz do que demonstrar o que já sabia – até a Coca-Cola pode apanhar COVID se não respeitar o distanciamento social, a etiqueta respiratória e a higienização frequente das mãos.

# Disparate 15

Foi Bill Gates quem inventou o SARS-COV 2?

Prof. Dra. Virulina Injetável, 26.01.21

Conforme expliquei ontem, Bill Gates tem um vasto manancial de experiência e conhecimento em agentes infecciosos e antivírus, que utilizou agora para desenvolver o SARS-COV 2, o vírus que causa a COVID-19.

Começou por desenvolver o SARS (Saponaceous Antinomic Recombinant Sublimate), um poderoso agente de diluição, e depois combinou-o com o COV (Corona Outstanding Virus), assim batizado por causa dos seus enormes poderes. Por quê 2, perguntarão os meus leitores? Ora bem, o 2 é porque o COV resulta da combinação do vírus da piolhose do morcego com o vírus da orelha murcha do suíno e tem um núcleo duplo, com células fusionadas de ambos os referidos vírus, envolvido em celulase através de um complexo processo de amniocentese hídrico-telúrica.

Tudo isto foi feito num laboratório militar subterrâneo na China, situado num complexo ultra secreto por baixo dos Himalaias, conhecido por ID IOTS nX. A vacina foi desenvolvida no mesmo laboratório, pelo famoso infecciologista russo Vaccinis Mymiddle Name.

Depois, foi só infetar as pessoas por computador e telemóvel, um processo muito mais fácil hoje em dia do que nos anos 80, dado a enorme progresso da informática, e vender vacinas aos milhões.

E foi assim que Bill Gates ficou ainda mais rico.

 

# Disparate 14

É verdade que Bill Gates infetou os computadores com vírus em 1981 para vender programas antivírus e agora, em 2020, infetou as pessoas com vírus para vender vacinas?

Prof. Dra. Virulina Injetável, 25.01.21

Corretíssimo! Toda a gente sabe que Bill Gates andou a infetar os computadores por telepatia em 1981 através de uma técnica pioneira na época.

Isolava-se em sua casa e entrava em transe, focando a sua poderosa mente no computador alvo. Este, não conseguindo resistir à vontade poderosíssima do cérebro nem aos poderes místicos do Bill Gates, acabava por ficar enfraquecido e abria a porta COM ou mesmo, em alguns casos, permitia o acesso à drive do floppy disk. Bill Gates, aproveitando esse momento de fraqueza, enviava por telepatia um vírus que ele próprio tinha inventado na garagem e que ficou mais tarde conhecido como o Vírus do Bill. E assim, computador a computador, infetou todos os computadores do planeta.

Depois, foi só colocar os floppy disks com o antídoto, que ele tinha tido o cuidado de desenvolver em segredo de parceria com um génio informático chinês, o senhor Vai La Tu, na mala de cartão da Linda de Susa e ir vendê-los porta a porta, juntamente com as enciclopédias do Círculo de Leitores e as Seleções do Readers Digest, de que era vendedor ambulante.

Foi assim que ficou milionário.

Amanhã explicarei como conseguiu fazer algo muito semelhante em 2020 com o SARS-CoV2.

# Disparate 13

Na televisão vê-se claramente que as vacinas são dadas com a carapuça ainda posta na agulha da seringa!

Prof. Dra. Virulina Injetável, 24.01.21

Sim, efetivamente e por bons motivos! É sabido que as injeções dadas com a carapuça ainda na agulha da seringa, sem que esta penetre no paciente, são muito mais eficazes e seguras do que as outras.

Acima de tudo, a carapuça impede que o líquido contido na seringa entre no braço do paciente, o que poderia causar efeitos adversos graves como, por exemplo, o paciente ficar logo vacinado, o que obviamente não é o que se pretende.

De facto, as vacinas de que estamos a falar são altamente inovadoras. Funcionam por sublimação e condensação, em que a carapuça colocada na agulha da seringa funciona como sublimador e o corpo do paciente como condensador, conforme explicado no método correto de aplicação da vacina que descrevemos de seguida.

Método de aplicação da vacina – Orientações da Direção-Geral da Insanidade v.007

  1. Retire a carapuça da agulha da seringa e insira a agulha no frasco com a vacina.
  2. Inspire 3ml. Expire 3ml. Repita 3 vezes.
  3. Retire a agulha do frasco e volte a colocar-lhe a carapuça.
  4. Coloque uma broca n.º 5 devidamente desinfetada no berbequim.
  5. Desinfete a zona de perfuração e fure o braço do paciente até à profundidade recomendada (3cm) em velocidade alta para evitar dor desnecessária.
  6. Insira a agulha da seringa com a carapuça no braço do paciente.
  7. Empurre cuidadosamente o êmbolo da seringa até que todo o líquido fique na carapuça.
  8. Aguarde 10 segundos para que a vacina se sublime e se volte a condensar já dentro do corpo do paciente.
  9. Retire cuidadosamente a agulha com a carapuça do braço do paciente.
  10. Tape o orifício com massa de vidraceiro, carregando firmemente com a espátula para que a massa penetre até ao fundo.
  11. Seque com um secador do cabelo durante 5 minutos e depois tape com um penso rápido.
  12. Reanime o paciente e leve-o diretamente para a Traumatologia.

 

Nota: É normal os pacientes desmaiarem ou quererem fugir durante este processo. Mantenha a calma e concentre-se nos procedimentos. Se necessário, chame um Médico pela Falsidade.

# Disparate 12

Campanha de vacinação sendo mostrada na TV alemã! ATORES SENDO PAGOS PARA FINGIREM RECEBER A VACINA PARA INCENTIVAR O GADO AO MATADOURO!

Prof. Dra. Virulina Injetável, 23.01.21

Esta é uma das maiores descobertas científicas na Alemanha dos últimos tempos!

De facto, o Herr Prof. Dr. Kohlkopf von der Unsinn demonstrou que quando o gado vacum vê seres humanos a serem vacinados, se dirige imediata e ordeiramente para o matadouro, pelo seu próprio pé e entoando marchas heróicas, de tal forma fica incentivado pela vacinação.

Neste momento, estão em curso experiências semelhantes com ovelhas, cabras e porcos. Na próxima fase, as experiências são estender-se a galinhas, perus e coelhos. Dada a complexidade técnico-científica da espécie, ainda não há previsão para as sardinhas, mas é uma possibilidade que continua em cima da mesa.

Nota 1: Irão realizar-se brevemente experiências semelhantes em Portugal de forma a poder determinar com segurança:

- quais são os atores que as vacas preferem ver vacinados e que mais as estimulam a ir para o matadouro; e

- quais são as músicas que o gado vacum português vai entoar: alguns cientistas crêem que será o "Já não sou Bebé" da Romana,  enquanto outros se inclinam mais para o "Vamos à Vacina" do Quim Barreiros.

Participe desta experiência pioneira, peça ao seu enfermeiro para o vacinar em frente a uma vaca!

 

# Disparate 11

Esta vacina baseia-se em novos conceitos, nomeadamente alterações ao ADN!

Prof. Dra. Virulina Injetável, 22.01.21

Sim, há muito gente que fica com o ADN alterado depois de tomar a vacina. Há mesmo pessoas a quem crescem mais orelhas e algumas que, de repente, começam a cantar ópera em chinês. Os casos mais graves conhecidos são de duas pessoas que começaram a rosnar 48 horas depois de tomarem a vacina e se atiraram às canelas dos vizinhos. Felizmente, estavam todos vacinados contra a raiva.

# Disparate 10

Como sou novo e saudável, a COVID não me vai fazer mal!

Prof. Dra. Virulina Injetável, 19.01.21

Talvez não, embora as probabilidades e a estatística sejam uma coisa lixada, nunca se sabe quando nos sai o número da sorte.

Há sempre a possibilidade que te saia o EuroCovidilhões e te vejas entubado em UCI. Se a tua família também lá estiver, é porque ganhaste também o Joker SARS-CoV2! É sempre a faturar!

# Disparate 8

O que devo fazer durante o confinamento?

Prof. Dra. Virulina Injetável, 18.01.21

Não confinar, como é óbvio! Por que haveria de perder uma oportunidade que fosse de apanhar COVID e de infetar a seguir várias dezenas ou, se você for mesmo muito bom, centenas de pessoas?

Se faz parte daqueles que, certamente por distração, perderam a Black Friday da COVID na véspera do confinamento, a sua vida é agora muito mais difícil, mas ainda há muitas oportunidades. Deixamos-lhe aqui alguns exemplos:

  • Procure ir ao supermercado à hora em que há mais gente, por exemplo ao sábado ou ao domingo de manhã, e leve a família toda, não se esquecendo de ir buscar a avó a casa para ela não ficar triste por ser a única que não apanha COVID.
  • Aglomere-se à porta dos cafés a beber a bica e comer o pastel de nata. Se fizerem moche, melhor.
  • Quando leva o cão a passear ou faz o seu passeio higiénico procure amontoar-se o mais possível com outras pessoas. Ensine o seu cão a morder outros, de forma a provocar pequenos ajuntamentos.
  • Esfregue as mãos em superfícies que tenham sido tocadas por muitas pessoas, como os corrimãos do metro ou das escadas rolantes, e a seguir limpe meticulosamente as cavidades nasais com os dedos, usando um dedo de cada vez, não se esquecendo de repetir o processo em cada narina.
  • Faça uma festa em casa com os amigos e mantenha as janelas bem fechadas; esconda o sabão para que ninguém possa lavar as mãos, mas não se esqueça de reforçar a reserva de papel higiénico!

#Disparate 7

Os gargarejos com elixir bucal atrasam a progressão da COVID?

Prof. Dra. Virulina Injetável, 17.01.21

Ainda não está cientificamente provado, mas há fortes indícios nesse sentido. No entanto, já com provas dadas e com um efeito muito mais radical e definitivo, pode optar antes por ingerir um copo de 300ml de lixívia, desentupidor de canos ou amaciador para a roupa. Se preferir algo sólido, tem sempre a possibilidade de comer duas ou três pastilhas de lavar a louça em jejum ou quatro bolas de naftalina recheadas com agrião ou gengibre antes de deitar. Não tome mata-ratos, tem demasiados efeitos secundários.

# Disparate 6

Pág. 1/2